Ciência volta olhar para igrejas