Tamanho da fonte:

A vivência religiosa é uma ferramenta importante para os idosos. Confere qualidade de vida à medida que dá esperança, ferramenta fundamental para os mais velhos desenvolverem expectativas positivas para enfrentar a realidade e as incertezas do futuro. A espiritualidade e a crença em um Deus oferecem sentido à vida para quem se aproxima cada vez mais da finitude dos dias.

Essa foi a conclusão de dois pesquisadores, o enfermeiro Maycon do Santos Marinho e a fisioterapeuta Luciana Araújo dos Reis, da Universidade Estadual de Santa Cruz, na Bahia. A dupla entrevistou 10 idosos com mais de 80 anos para investigar a relação entre envelhecimento e Deus. Os participantes responderam a um questionário padrão. De uma forma geral, perceberam nas narrativas a importância dada à espiritualidade nessa fase da vida. A maioria – sete deles – disse que o envelhecimento com saúde é uma dádiva divina.

Seguem alguns depoimentos:

  • “Eu encaro a velhice numa boa, pra mim o importante é que eu estou vivendo, e graças a Deus, eu estou ótima. E eu agradeço a Deus pela vida que ele está me dando, pela minha família; muito obrigado, Senhor!” Camélia, 83 anos.
  • “Eu me sinto bem. Tenho muito o que agradecer a Deus, porque eu já estou com meus oitenta anos e estou vivendo com saúde.” Margarida, 82 anos.
  • “Graças a Deus, eu tenho uma vida boa. Peço a Deus para me dar saúde para eu viver muitos anos”. Angélica, 83 anos.
  • “Acho a velhice uma coisa muito boa. Agradeço a Deus por chegar aos oitenta e um anos. Para mim, tanto faz quando nova ou agora. É a mesma coisa. Graças a Deus, sou sadia. Graças a Deus, sou uma pessoa disposta e espero ser disposta até os cem anos.” Rosa, 81 anos.
  • “Eu vivo alegre. Graças a Deus, eu vivo com Deus e vivo alegre. Estou casada há sessenta anos. Vivemos juntos até hoje, nunca nos separamos. Mesmo doente como ele está, eu não fico triste. Há um ano e meio, ele não anda. Eu cuido dele até quando Deus permitir”. Violeta, 82 anos.
  • “Eu me sinto feliz. Se estou envelhecendo, é porque Deus me permitiu vida até aqui”. Girassol, 81 anos.
  • “Vivo a velhice graças a Deus muito bem, tenho minha casa, não devo nada a ninguém, não dependo de ninguém, isso é bom, não é?!” Hortência, 85 anos.

Segundo os pesquisadores, o envelhecer é um processo complexo, dinâmico e singular. Neste estudo, foi possível analisar que a percepção do passar dos anos está associada com a crença em algo. Evidencia que a velhice é um tempo de reverência e de agradecimento pela saúde, autonomia e disposição.

Esse estudo tem importância por levar em conta principalmente os aspectos psicológicos, sociais, econômicos, culturais e espirituais – e não biológicos. Os pesquisadores afirmam a importância de estudos com idosos longevos e a inclusão do tema espiritualidade na análise do envelhecimento, pois na literatura nacional quase não se acha relatos desse tipo.

Leia o artigo completo aqui.