Tamanho da fonte:

Dar carinho, compaixão e amor se reverte em mais benefícios positivos do que recebê-los. Mesmo para quem não tem nenhuma religião nem fé, fazer o bem tem grande impacto na saúde e na longevidade. “Enquanto muitos pensam que precisam encontrar alguém para amá-los, pesquisas mostram que os maiores benefícios para a longevidade e bem-estar não vêm de receber amor, mas de dar amor aos outros”, escreve a diretora científica do Centro de Pesquisa para Compaixão, Altruísmo e Educação, Emma Seppala, em um artigo para o site Psychology Today.

No texto, ela aponta uma série de estudos que abordam o assunto, lembrando que não importa a idade que isso aconteça. Ser voluntário em uma causa social ou praticar uma meditação de bondade amorosa deveria fazer parte das rotinas das pessoas.

Felicidade contagiosa. Da mesma forma, uma nova pesquisa publicada na Health Psychology, mostra que a felicidade e o bem-estar podem ser contagiantes. Se você estiver rodeado de pessoas saudáveis ​​e felizes, provavelmente se sentirá da mesma maneira. Em outra pesquisa, cientistas das universidades de Michigan e de Chicago demonstraram a influência que os casais românticos possuem no bem-estar emocional e físico da felicidade e saúde do parceiro.

A análise do estudo foi publicada em um artigo intitulado Você Feliz, Eu Saudável? Ter um parceiro feliz é independentemente associado à melhor saúde em si mesma. Os autores analisaram quase 2 mil casais. As descobertas indicaram que “simplesmente ter um parceiro feliz pode melhorar a saúde tanto quanto se esforçar para ser feliz consigo mesmo”.

Portanto, escolha seus amigos e seus parceiros amorosos com cuidado, pois seu relacionamento com eles influenciará o seu próprio bem-estar psicológico e físico.