Tamanho da fonte:

Sexo frequente em um relacionamento amoroso de qualidade faz parte da receita da felicidade do universo feminino. Pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, quiseram saber mais sobre tema. Investigaram se de fato traz benefícios mensuráveis no corpo e na mente. Estudaram a relação dessa combinação com o estresse em 129 mulheres. Ainda avaliaram a variação do comprimento dos telômeros – capa proteica do material genético –, relacionado com a longevidade.

A primeira alteração significativa foi revelada quando as mulheres foram analisadas na semana em que tiveram sexo com o parceiro. Os telômeros ficaram significativamente mais longos. Essa estrutura proteica protege os cromossomos do desgaste e, portanto, garante a integridade do DNA. Com o tempo ela encurta, levando à diminuição da atividade celular e ao consequente envelhecimento.

Tomás Cabeza de Baca, o principal pesquisador do projeto, arrisca um palpite sobre o que acontece. Para ele, o sexo combinado com um bom relacionamento afeta positivamente a resposta do organismo ao estresse e fortalece o sistema imunológico. Ao longo do tempo, esses padrões estimulam o aumento do comprimento dos telômeros.

O estudo é preliminar, com uma pequena amostra de mulheres. O pesquisador alerta para a necessidade de se investigar mais, inclusive para verificar como o sexo e o amor afetam também aos homens. O relatório foi publicado na revista científica Psychoneuroendocrinology. Leia o artigo original aqui.

Fonte: Stuff
Síntese: Equipe Plenae